Pix: segue sendo uma super tendência para o e-commerce

Design sem nome (2)

O pagamento instantâneo chegou ao Brasil em 2020, anunciado pelo Banco Central. De lá para cá, o Pix acabou se popularizando entre os brasileiros, e já é uma realidade para milhões. Claro que não podíamos deixar de falar do Pix que segue sendo uma super tendência para o e-commerce, não é, e para entender as facilidades que o pagamento instantâneo trouxe para o varejo on-line, é importante conhecer um pouco da trajetória no mercado. 

O Pix é um novo método de pagamento instantâneo do Banco Central, que foi implementado em todo território brasileiro. Diferente de outras formas de transação como TED, DOC e boletos bancários, o Pix está disponível praticamente todos os dias da semana, 24h por dia, de forma on-line e instantânea, no qual a transação pode ocorrer em até 10 segundos. 

Provando ser um fenômeno, pouco mais de seis meses depois do lançamento oficial, já somavam mais de 230 milhões de chaves do Pix cadastradas entre pessoas físicas e jurídicas. O número de usuários do Pix também impressionou, chegando a 82 milhões de pessoas no primeiro mês de lançamento (maio), evidenciando que quase 40% da população brasileira já aderiu ao Pix.

Sem sombra de dúvidas, podemos dizer que essa aceleração da digitalização dos meios de pagamento, foi devido ao distanciamento social promovido pela pandemia.  De acordo com a Mastercard, 75% dos consumidores aumentaram o uso de pagamentos digitais devido ao distanciamento social e 61% testaram um novo meio de pagamento durante os meses de pandemia em 2020.

Perfil de usuário

Pesquisa realizada pelo Data Nubank traçou o perfil dos clientes do banco que utilizaram o Pix entre outubro de 2020 e janeiro de 2021. 20,2% dos usuários do Nubank com idade entre 18 e 30 anos versus 2,7% entre os 80+. A utilização do Pix diminui na medida em que a idade aumenta, ou seja, proporcionalmente, o Pix é mais popular entre os mais jovens. 

Mas na plataforma da Moovin, o que mudou?

O Pix trouxe benefícios como rapidez, democratização e redução de custos para o mercado, que não só é mais barato, mas também mais acessível e fácil de usar. No e-commerce, o Pix trouxe muita evolução ao mercado  brasileiro. 

O que foi notado logo no início, é que através do pagamento instantâneo, o tempo de entrega do produto é reduzido. A transação é feita em segundos e o estabelecimento imediatamente pode começar o processo de envio. Diferente do boleto, por exemplo, que pode demorar dias para ser compensado.

Seguindo essa linha de melhoria e eficiência, os estabelecimentos diminuem o tempo que o estoque fica parado enquanto aguarda aprovação de pagamento. Outro ponto importante, é que com o Pix as taxas de abandono em vendas diminuem. Normalmente os consumidores geram boletos, mas por inúmeros motivos não efetuam o pagamento depois, com o Pix esse pagamento é instantâneo e não precisa programar o pagamento.

Se você é cliente Moovin, mas ainda não integrou o PIX em sua loja, siga o passo a passo deste tutorial e entre em contato com a instituição que faz a mediação dos pagamentos em seu e-commerce e faça a sua solicitação.  Vale a pena investir em mais praticidade e rapidez. Com certeza, os clientes também aprovam essa excelente integração que a Moovin oferece. 

O serviço criado pelo Banco Central além de trazer mais facilidade, também não necessita de grandes mudanças em sistemas ou plataformas de pagamento, o que torna sua adesão pelo varejo ainda mais vantajosa. Na outra ponta, o consumidor também se sente bem com a qualidade do serviço. Ou seja, é uma situação na qual todos ganham.

Além do Pix ser uma tendência que veio para ficar, nesse artigo falamos mais sobre outras tendências que vão pipocar muito no setor de e-commerces Brasil afora, não deixe de conferir, pois você pode aplicar algumas em sua loja, além de ficar atualizado sobre o setor e todas as novidades que estão por vir.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter