Marketplace ou loja virtual, onde vende mais?

Você quer saber o que vende mais, se marketplace ou loja virtual? Pois saiba que não há uma resposta exata para isso. Pode ser que sim, como pode ser que não.

Vamos tentar explicar melhor. Para isso, imaginemos dois casos diferentes:

1 – Uma empresa com uma marca razoavelmente conhecida e com lojas físicas nas grandes cidades dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo decidiu montar sua loja virtual para atender a todo território nacional.

Ela desenvolveu uma boa estrutura de logística e investiu numa plataforma de e-commerce para criar um layout de alto nível e uma ótima comunicação visual. Gastou dinheiro em estudos para entender o processo vivido pelo cliente para criar para ele a melhor experiência possível.

2 – Um jovem empreendedor, que tem ótimos conhecimentos em informática, decidiu abrir um pequeno e-commerce para vender artigos desse segmento. Ele tem uma verba razoável para investir em formação de estoque e aluguel de um pequeno galpão.

Já mapeou a forma como os correios trabalham, levantou os custos de frete e cumpriu todos os requisitos de compliance para a ativação de uma loja virtual, como política de segurança e privacidade, além de ter opções de pagamento e integração com ERP. No entanto, não tem capital para investir forte em marketing.

Quais seriam as políticas corretas para cada um dos casos?

Loja virtual como prioridade e Marketplace como alternativa

O primeiro caso é típico de uma empresa que já tem uma marca posicionada no mercado. Quando o seu negócio se enquadra nessa condição, isso significa que sua marca goza de alguma credibilidade.

Sabemos que uma marca conhecida é o melhor cartão de visitas, que abre portas para a aquisição de novos clientes e realização de vendas.

Em outras palavras, o prestígio adquirido no varejo físico, por conta da marca, é transferido para o e-commerce.

Ao mesmo tempo, devemos levar em conta que uma empresa que está expandindo canais de vendas tenha um budget para posicionar o novo canal, o que, em outras palavras, significa aportar verbas em marketing e comunicação.

A política mais adequada para essa empresa é investir na divulgação em tráfego pago. Em outras palavras, o caminho natural é o Google Ads. Além de direcionar tráfego abundante para a nova loja virtual, ajudará a informar aos clientes fiéis que agora a marca está na internet.

Obviamente, havendo um grande investimento em propaganda, é esperado, em tese, que as vendas venham em grande volume. Num volume superior, inclusive, ao que poderia ser obtido em um marketplace.

Há outro aspecto chave nessa escolha, que é a preservação da margem de lucro. Ao fazer a venda por meio dos marketplaces, uma empresa agrega um novo custo às vendas, que é a comissão recebida pelas plataformas pelo produto vendido. Nada mais natural, uma vez que os marketplaces oferecem um serviço de grande valor aos pequenos logistas, como detalharemos mais à frente.

Sendo assim, se você tem uma marca posicionada, a melhor decisão é investir pesado em marketing, se posicionar no mercado virtual e gerenciar sua loja com arrojo, para fazer o negócio crescer.

O que não impede você de fazer vendas por meio do marketplace. Por quê? Porque você estará gerando mais um canal de venda para os seus produtos.

Queremos dizer que, independente de você reduzir a margem no novo canal, estará ampliando o volume de vendas, o faturamento e o lucro da empresa. Tudo isso prestando rigorosamente o mesmo serviço, que é receber os pedidos, receber o pagamento e entregar os produtos dentro do prazo.

É muito comum ouvirmos dizer que o marketplace não dá exposição à sua marca. É bem verdade que o propósito não é esse. O que o marketplace propõe é ajudar você a ganhar escala em vendas em troca de uma pequena participação no valor das mesmas.

Não obstante, se você já fez compra em um marketplace como Mercado Pago, Submarino ou Americanas, por exemplo, deve ter percebido que, ao escolher um produto, o marketplace informa o nome do parceiro que está propondo aquela oferta.

Portanto, vender em marketplace, como política complementar, auxilia você no esforço para escalar vendas e ainda divulga para seus clientes que você está vendendo na internet.

Marketplace como prioridade, loja virtual como estratégia de crescimento

O segundo caso é típico de alguém para quem o marketplace é o parceiro ideal. É evidente que se você não tem uma marca posicionada na mente do consumidor, tampouco verba para investir pesado em marketing promocional, as vendas não virão por encanto.

Nesse caso, o marketplace é a melhor estratégia para você começar a gerar receita com o seu e-commerce.

O que acontece quando você cadastra seus produtos no marketplace é que:

– seus produtos passarão a estar expostos para milhões de usuários desses ambientes de consumo, gerando oportunidades de vendas em grande escala;

– você passa a vender sob o guarda-chuva de uma grande marca, conhecida e que goza de credibilidade e prestígio, o que ajuda a promover seus produtos junto aos consumidores;

– você não tem qualquer custo para hospedar seus produtos nos marketplaces; o único custo é aquele incidente sobre a receita que você obteve com a venda dos seus produtos.

Integração com marketplaces

Mais vale você investir, nesse caso, na melhora dos processos de sua loja do que destinar verbas insuficientes para o marketing, que nem sempre são investidas de forma apropriada.

Por isso, ao definir o marketplace como seu canal de vendas, invista na integração de plataformas. Isso significa dizer que você só precisará fazer uma alimentação de dados e que seus estoques terão baixa automática quando ocorrerem as vendas.

Se a sua loja estiver integrada com o sistema de gestão, serão gerados relatórios financeiros e documentos fiscais de forma automática.

Portanto, invista na integração e ganhe agilidade na sua operação, podendo dedicar mais tempo às demandas estratégicas.

Faça a sua integração com a Moovin. Nós integramos seu e-commerce com todos os principais marketplaces do mercado, melhorando sua produtividade.

Estratégia para a loja virtual

Depois que você conseguiu estabelecer uma rotina de receitas capaz de impulsionar o seu negócio, gerando reservas para investimento, talvez tenha chegado a hora de investir na sua marca.

Afinal, você sabe que a margem de lucro é maior para os produtos vendidos diretamente por meio de seu e-commerce, já que não existe a comissão do marketplace. Não pode, no entanto, esquecer que será necessário investir dinheiro em marketing.

A boa notícia é que você pode começar esse investimento em doses homeopáticas, buscando escalar resultados no longo prazo. Afinal, seu negócio já gera receitas suficientes com os marketplaces para se manter.

A melhor estratégia é a melhor estratégia para o seu negócio

A grande lição que devemos aprender a partir do tema abordado é que não existe uma melhor estratégia universal.

A melhor estratégia é aquela que atende melhor às necessidades e possibilidades do seu negócio.

Se você tem dúvidas, entre em contato com a Moovin. Nós temos uma equipe focada em levar empreendedores como você a alcançar a melhor performance e os resultados almejados.

Fale conosco!