Como migrar de plataforma e-commerce

Você teve uma ideia de negócio. Montou uma loja virtual e o empreendimento começou a dar sinais de que a sua estratégia estava certa. Suas vendas aumentaram e, de repente, você começa a perceber que a sua plataforma de e-commerce já não suporta mais a sua estratégia e as novas necessidades de um negócio que se expandiu.

É comum acontecer isso com empreendedores do varejo eletrônico. Nem sempre, nos primeiros passos que damos para viabilizar nosso negócio, conseguimos ter uma visão clara de escalabilidade. Em algum momento, os sistemas que dão suporte e viabilidade ao nosso negócio precisam ser trocados, o que inclui ERPs e plataformas de e-commerce.

A verdade é que os recursos tecnológicos evoluem muito rapidamente e isso pode levar as soluções ora adotadas à obsolescência. É só observarmos alguns fenômenos recentes, que transformaram o e-commerce, como a expansão das plataformas de marketplace, as soluções para dropshipping e a nova corrida para adequar os empreendimentos no varejo eletrônico ao novo ambiente de consumo omnichannel.

Tudo isso, sem contar com a necessidade de expandir políticas promocionais, usando recursos como o retargeting, integrando o e-commerce com o CRM. A gestão de um e-commerce requer o poder de organização e qualificação de processos, trazido pela tecnologia de integração digital, e a agilidade entregue pelas rotinas de automação desses processos, gerando retorno em produtividade e economia de custo para as empresas, enquanto o cliente percebe valor naquilo que recebe.

Riscos inerentes à migração

É preciso, no entanto, que você, antes de dar início ao processo de migração, tenha certeza absoluta de que ele é realmente necessário e de que entregará uma boa relação custo-benefício.

Algumas perguntas precisam ser respondidas em um processo de planejamento:

– Quais os benefícios que teremos com a mudança em termos de produtividade e agilidade?

– Qual será o custo da mudança (migração + (custo operacional da nova plataforma x custo atual))?

– Quais os benefícios que teremos com a mudança em termos de economia de custos?

– Qual será o impacto da mudança sobre a lucratividade do negócio?

– Qual será o ganho obtido com relação à experiência do cliente?

– Qual a escalabilidade da nova plataforma?

– Em quanto tempo a mudança trará retorno sobre o investimento?

– Quais os riscos da mudança?

Todas essas perguntas precisam ser feitas para que se chegue a uma decisão lúcida. Sobretudo a relacionada aos riscos, que são inerentes a qualquer tipo de mudança, sobretudo quando entra em cena a migração de dados.

Sendo assim, fique bem atento a essa questão. É preciso que a escolha dos profissionais que farão a migração da plataforma de e-commerce seja feita de forma muito criteriosa.

Hora de conhecer a Moovin

Você pode comparar diversas empresas especializadas ou acertar direto na mosca. Talvez seja o caso de você entrar em contato com a Moovin e economizar tempo.

O diferencial da Moovin é que nós respiramos e-commerce e temos nossa própria plataforma, totalmente voltada para os serviços de comércio eletrônico.

Contratar a Moovin para fazer a migração de sua plataforma de e-commerce é, sem dúvida alguma, uma medida de gestão de risco, pois você estará entregando a tarefa a quem é especialista em desenvolvimento e adequação de soluções para o seu negócio.

Ao migrar para a plataforma da Moovin, você garantirá qualidade organizacional e operacional, produtividade e escalabilidade, pois nosso sistema está em desenvolvimento constante para que você possa se apropriar dos benefícios da evolução tecnológica.

Você sabe o que a plataforma Moovin disponibiliza para o seu e-commerce?

– hospedagem cloud computing em parceria com a Amazon Web Service;

– integração com dezenas de marketplaces, com automação total dos processos;

– sistema multi-preços, com geração de preços diferentes para o mesmo produto, dependendo da origem do acesso;

– vitrines customizadas para atender às características de cada produto;

– ferramentas avançadas de SEO para impulsionar a loja nos mecanismos de busca;

– rotina de recuperação de abandono de carrinho;

integração com ERP, gerando automação da rotina do e-commerce;

one step for checkout (página única de pagamento);

– geração de campanhas promocionais personalizadas;

– análise de perfil individual de cliente por páginas visitadas;

– programa de recompensas para relacionamento, retenção e fidelização de clientes;

– versão móbile;

– recursos para gestão de negócios B2B.

Avalie se são esses os recursos que você precisa para melhorar a performance do seu e-commerce e ter a garantia de que não precisará, no futuro, fazer uma nova migração de plataforma, com todo o custo e riscos que isso acarreta para sua empresa.

Caso seja esse o seu desejo, entre em contato conosco para que possamos esclarecer todas as suas dúvidas.

Como é o processo de migração de plataforma de e-commerce

Agora que você já conhece a Moovin, vamos falar um pouco sobre o processo de migração, mostrando quais são as etapas desse processo e como ele ocorre.

Podemos resumi-lo em quatro etapas:

– arquitetura da nova plataforma;

– pré-migração;

– migração;

– pós-migração.

Arquitetura da nova plataforma

Essa fase é essencial para a performance da nova plataforma. A arquitetura corresponde ao planejamento. Por isso, precede a escolha do design e a implementação.

As medidas a serem tomadas nessa primeira fase são:

– revisão e reestruturação das urls, visando melhorar a interface com os mecanismos de busca;

– revisão e melhora dos links internos;

– verificação e migração dos requisitos de rankeamento e conversão da plataforma antiga, como títulos e palavras chave;

Pré-migração

Aqui você tomará todas as medidas para garantir a segurança do processo de migração e o seu sucesso.

Nesta etapa será feito:

– backup completo do site, incluindo bancos de dados, código fonte e arquivos de mídia;

– identificação das páginas indexadas pelo Google;

– identificação do posicionamento das palavras chave;

Migração

Nessa fase o grande desafio é assegurar que a transferência seja completa, com a preservação da integridade do conteúdo e mecanismos de redirecionamento.

Entre os processos mais delicados está o redirecionamento 301, que consiste em redirecionar as URLS das páginas antigas para as do novo site.

Outros atributos do site a serem guiados durante o processo de migração são:

– imagens;

– canonical;

– título;

– metadescrição;

– H1.

Cuidar de todos esses aspectos é essencial para que o site conserve seus atributos de rankeamento e conversão.

Pós-migração

A pós-migração é uma fase de conferência, para saber se todos os pré-requisitos foram cumpridos no processo de migração.

É como verificar se a mercadoria foi entregue intacta no endereço informado.

Nas semanas subsequentes à migração de plataforma, o monitoramento de performance deve ser feito via Google Analytics. Por meio dos relatórios obtidos, será possível averiguar se ouve, e em que nível, variação da performance do site na obtenção de tráfego orgânico.

Aprender é a melhor estratégia

Esperamos que o artigo tenha sido útil. Mais que estruturar canais promocionais, a Moovin se empenha em disseminar conhecimento.

Preparar o público empreendedor para tomar as melhores decisões é uma forma de colaborar para o crescimento de todos. Empreendimentos de sucesso geram renda, emprego e crescimento econômico.

É por isso que fazemos o convite para que você continue conosco, consumindo conteúdo altamente informativo por meio do nosso blog.

E não se esqueça de conversar conosco quando necessitar fazer a mudança da sua plataforma de e-commerce.

Bons negócios!