Uma mesma loja virtual pode ser B2C e B2B?

Sim! É possível que sua loja virtual faça vendas B2C e B2B ao mesmo tempo e trabalhe com regras de negócio diferentes. Confira abaixo algumas funções que você deve buscar na sua plataforma de e-commerce para viabilizar este modelo de negócio:

1. PERFIL DE CLIENTE

Uma opção é que você trabalhe com grupos de clientes em sua loja. Dessa forma, o cliente faz o cadastro conforme seu perfil, preenchendo aos campos com as informações que são necessárias para aquela modalidade.  No modelo B2B, o cliente deve se cadastrar como pessoa jurídica, mas este perfil não pode ser ativado automaticamente. Por isso, é necessário bloquear o cadastro para que seja feita a análise da consistência de dados fornecidos (verificar se há coerência entre o ramo da atividade da empresa com os produtos que você vende, dados de contas bancárias e titularidade, entre outras informações). Além do modelo B2B, a função é útil também para outras situações, como livrarias, por exemplo, que podem criar grupo de professores para acesso a preços mais baixos.

2. REGRAS DE NEGÓCIO

Ao acessar sua loja sem ter realizado login ou utilizando o login de pessoa física, o cliente visualizará determinados preços e realizará o processo de compra normalmente, finalizando o pedido com as formas de pagamento que já está habituado. Mas se o acesso for feito por um usuário de um grupo especial, este cliente poderá enxergar a loja de forma diferente, com um catálogo de produtos maior ou menor, preços diferenciados, pedido mínimo para compra e formas e condições de pagamento diferenciadas.

3. DESCONTO PROGRESSIVO

Outra opção é praticar a venda por atacado não sendo necessário um cadastro específico para pessoa jurídica. Assim o cliente ganha um desconto no valor unitário conforme o volume do pedido aumenta, podendo ser feito também por uma pessoa física.

4. MULTI-ESTOQUE

É comum as empresas disponibilizarem um estoque para as vendas B2C e outro para B2B. Se sua estratégia for esta, verifique se a sua plataforma oferece a possibilidade de manter estoques diferentes do mesmo item.

5. GRADE DE PEDIDO

Você tem um mesmo produto com variações diferentes, como de cor e tamanho, por exemplo. Imagine o quão estressante seria para comprar uma quantidade diferente de cada combinação possível, se tivesse que adicionar um por um no carrinho de compras. Como facilitar isso? A solução é a aplicar uma grade na página do produto, que torna o processo muito mais ágil.

Se a quantidade solicitada ultrapassar a disponibilidade em estoque, o sistema reajusta automaticamente para o número máximo permitido:

6. PEDIDO MÍNIMO

Possibilidade de estipular um pedido mínimo – seja em valor ou quantidade de itens – para realização de compras B2B e atacado.

7. CONDIÇÕES DE PAGAMENTO

Normalmente, o número de parcelas possíveis são diferentes entre o B2B e B2C. Além disso, algumas empresas optam por permitir somente o pagamento por boleto no B2B, já que as taxas por transação de cartão de crédito se tornam muito altas. Nesse caso, o parcelamento por boleto precisa ser bem pensado a fim de evitar fraudes. Exemplo: na primeira compra, como ainda não há conhecimento sobre a confiabilidade do cliente, o pedido somente é despachado após o pagamento da segunda parcela. Nas compras seguintes, a liberação pode ocorrer após o pagamento da primeira.

Já está mais do que na hora das empresas B2B se lançarem no e-commerce mas, para isso, é preciso buscar soluções que já estejam preparadas e sejam flexíveis o suficiente para atendê-las. O B2B tem muitas particularidades em seu modelo de negócio, e não é qualquer plataforma que será capaz de atendê-las.

Boas vendas!