No comércio móvel, a simplicidade é uma virtude

A maioria dos varejistas e especialistas concordam que quando se trata de comércio móvel as coisa precisam ser o mais simples possível. Um smartphone não é um PC desktop, pois não possui um grande monitor com teclado e mouse, que facilitam muito sua utilização. Além disso, os consumidores compram através dos dispositivos móveis em um ritmo mais lento, por estarem em movimento, ou até mesmo pela limitação do aparelho.

“No comércio móvel, a simplicidade é uma virtude”, diz Julie A. Ask, vice-presidente e principal analista de m-commerce da Forrester Research, acrescentando que focar nos objetivos dos usuários é a chave para uma experiência simples, incluindo um projeto de navegação que seja fácil de entender, como outros varejistas já fizeram. “Em termos de navegação tem que ser muito amigável e simples”, diz ela.

Julie ainda cita algumas perguntas que podem ser feitas quando se está projetando uma plataforma para m-commerce.”Para se fazer um projeto simples, é preciso pensar em como ele (consumidor) utiliza. Que objetivo ele tem em mente quando está em sua plataforma? O que eles querem fazer na loja de seu concorrente? Quanto tempo eles levam para comprar um produto em seu site?” finaliza.