11 recursos de SEO essenciais em uma plataforma de e-commerce

Ser encontrado entre os primeiros resultados do Google é um dos principais desafios de qualquer negócio. Para as lojas virtuais, então, fazer um bom trabalho de SEO é ainda mais necessário, já que suas vendas dependem inteiramente de sua encontrabilidade online.

Antes de tudo, é importante deixar claro que o Google considera incontáveis fatores para ranqueamento, sendo crucial a presença de conteúdo relevante e autêntico e experiência de navegação. Você já deve ter lido por aí diversas dicas de SEO para sua loja virtual, mas nem tudo é possível de ser feito se não utilizar uma plataforma de e-commerce realmente comprometida com sua indexação orgânica. A seguir, confira o que é necessário buscar em uma plataforma para que seu site seja encontrado nos resultados de busca.

1. Criação de URLs amigáveis

A URL é um dos fatores mais importantes para o Google, pois ela indica sobre qual assunto a página se refere. Muitos sistemas de e-commerce se utilizam de um conjunto de códigos e geram URLs automáticas extensas e complicadas.  Opte por uma solução que crie URLs simples e compreensíveis, focando nas palavras-chaves do produto ou página em questão.

Por exemplo: lojavirtual.com.br/ smartphone-motorola-moto-g5s-xt1802-platinum

2. Titles, descriptions e Microdatas (Schema)

Juntamente com as URLs amigáveis, estes itens são básicos e fundamentais para o trabalho de SEO. A plataforma deve permitir que você personalize os títulos, palavras-chaves e textos de descrição para todas as páginas de categorias, marcas e produtos. Ao que se refere a microdatas (Schema), certifique-se se a plataforma adiciona informações importantes em seu HTML, que indica ao Google dados importantes para o ranqueamento do produto,  como disponibilidade de estoque; quantas estrelas, nota ou média o produto possui; quantas e quais imagens são referentes ao produto; se há vídeo na página;  entre outras informações relevantes.

3. Arquitetura do site: usabilidade e link building

A estrutura do site, com uma arquitetura inteligente das informações e links internos, é fator também essencial para ranquear suas páginas. Vincule seus produtos às categorias de forma adequada e certifique-se que qualquer item pode ser facilmente encontrado através da navegação pelos menus e filtros. Isso garantirá que o Google encontre, rastreie e indexe todo o seu conteúdo. Também é interessante utilizar breadcrumbs, que mostram o caminho percorrido pelo usuário. Exemplo:  Smartphones > Motorola > Moto G

4. Velocidade de carregamento

Ninguém gosta de esperar. Quando utilizávamos a internet discada, éramos obrigados a ter mais paciência e aguardar para que as páginas fossem carregadas. Mas já é 2018 e ninguém está mais disposto a isso. O Google sabe disso, é claro, e considera a velocidade de carregamento do site também como fator de ranqueamento. Você pode analisar o seu desempenho e verificar sugestões de melhorias através da ferramenta PageSpeed Insights, disponibilizada pelo próprio Google.

5. Possibilidade de criação de filtros de busca avançados

A utilização de filtros de busca avançados facilita a navegação do cliente e a sua busca por itens que contenham as características que ele deseja. Isso também contribui para que o Google localize seus produtos, expandindo suas chances de ser encontrado através da pesquisa pelas palavras utilizadas como filtros.

6. Versão da loja virtual dedicada ao mobile

Não deve ser novidade para você que o Google prioriza os sites que estão comprometidos com a navegação através dos dispositivos móveis. A maioria das plataformas de e-commerce trabalha com layout responsivo, o que significa em uma simples adaptação do layout do desktop para mobile. É melhor do que nada, claro. Porém, isso significa que a versão não foi realmente pensada para este fim, o que impacta na velocidade de carregamento do site, navegação sem usabilidade para os dedos, entre outros.

Escolha um solução que entregue uma versão exclusiva para o mobile. Afinal, mais do que querer ser encontrado no Google, você quer converter, certo? E cada vez mais as pessoas passarão a acessar seu site através dos smartphones.

7. Canonical tag para evitar duplicação de conteúdo

Você já deve ter ouvido falar que o Google desqualifica sites que contenham conteúdo duplicado. É por isso que chamamos a atenção que você deve escrever suas próprias descrições de produto, sem copiar do fabricante ou concorrentes. Mas, como fazer quando você possui um produto com variações diferentes (cores, por exemplo) e precisa usar a mesma descrição para cada página? Para casos como este, é necessário utilizar a canonical tag, que avisa o Google que esta é uma página se utiliza do mesmo conteúdo de outra, que deve ser indexada apenas a outra versão.

8. Liberdade para categorização de produtos

Assim como já comentamos sobre a arquitetura do site e a utilização de filtros de busca, as categorias são fundamentais para uma boa navegação dentro de seu site e também contribuem para o SEO. Você pode explorar as páginas das categorias e das marcas que seu site trabalha, desenvolvendo um conteúdo mais elaborado e adicionando os produtos que correspondem a cada classificação.

9. Sistema de avaliação de compradores

Verifique se a plataforma de e-commerce possui o recurso para avaliação de compradores, ou se está integrada a uma solução externa. O Google prioriza sites que tem seu conteúdo constantemente atualizado, o que é um desafio complicado para quem tem uma loja virtual. Afinal, ninguém vai ficar mudando a descrição do produto o tempo todo.

Com a avaliação dos compradores, as páginas de produtos recebem atualizações mais frequentes e com informações úteis para futuros clientes. Mais um pontinho para seu site!

10. Redirecionamento 301

É natural que ao longo do tempo algumas das páginas de seu site deixem de existir, seja por produtos que já não são mais vendidos, mudança de URLs, entre outros motivos. No entanto, se o usuário chegar até seu site através de uma dessas páginas, ele não deve se deparar com uma mensagem de erro. O redirecionamento 301 serve para preservar o valor de SEO da página e direcionar o usuário para outra seção do site.

11. Permite vincular um blog à loja virtual

Ter um blog vinculado ao seu e-commerce é uma excelente ferramenta para que você publique conteúdo relevante e frequente. Com um blog, sua empresa é capaz de demonstrar ser especialista sobre um determinado assunto, podendo divulgar seus produtos com informações muito mais ricas e úteis para o público. Através das postagens você pode explorar muito mais as palavras-chaves relevantes para seu negócio e aumentar as chances de sua loja virtual ser encontrada no Google.

CONCLUSÃO

Para concluir, é importante observar que o Google sempre busca entregar o melhor resultado para o usuário, o que abrange um conteúdo relevante e uma boa experiência dentro do site.

Não necessariamente se uma loja virtual utiliza uma plataforma robusta, ela será encontrada na primeira página do Google. Tudo dependerá do quanto ela aproveitará seus recursos, além de aplicar outras estratégias que não dizem respeito somente à tecnologia.

Quer abrir um e-commerce ou migrar sua loja virtual?